Bem-vindo ao nosso site

O Ensino de Ciências na Amazônia

 O Ensino de Ciências na Amazônia, um grande desafio a ser construida pela educação em nosso país, mas mais especificamente pelo região norte. O Ensino de Ciências está ligado as Ciências Naturais, tais como: Astronômia, Biologia, Geociências, Física, Química e também a Matemática.

É inegavel a importância de o cidadão compreender noções de Ciências para a sua vida cotidiana e poder participar de debates sobre temas tecno-científico com alcance social e político na sociedade. A questão é como realizar isso. Um tendência que tem-se consolidado é a "Alfabetização Científica", como meio de divulgação científica básica a população de formas formais, não-formais e informais. Isto por meio da escolarização (formal) e dos recursos dos meios de comunicação, parques científicos e museus em Ciências (não-formais e informais).

A indagação que nesse aparato deve haver o motivador regional que identifique  como ciência da região, para poder valorizar e perceber que existe uma produção científica local, útil e importante para desenvolvimento tecnológico. Mas para compreensão das pessoas na formação de uma cultura científica, não cinetístas. Temos o INPA em Manaus-AM e o Museo de Ciências Parense. Mas precisamos de mais.

Aqui é um espaço para reflexão atravês de artigos e futuramente para tecnicas e metodos didático-pedagógico para o Ensino de Ciências para todos os níveis. Leia, participe dos blogs e faça os seus, precisamos socializar mais a Ciência e sua relevancia na sociedade.

Artigos de Ensino de Ciências

POR UMA DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA ENRIQUECEDORA NA AMAZÔNIA: CULTURA E ABORDAGEM DIALÓGICA

A Divulgação Científica pode apresentar-se sob diferentes formas de discurso, todas com a intensão de expor o conhecimento científico. Nesse sentido, Amazônia é tema para a Divulgação Científica. Esse discurso é, contudo, intencional e pode apresentar-se como uma construção mítica, deformada ou...

UMA ANÁLISE COMUNICACIONAL MEDIADA PELO DISCURSO MIDIÁTICO DA EXPOSIÇÃO: DIMENSÃO VERBAL E NÃO VERBAL

A pesquisa em espaço de educação não formal em ciências normalmente é feita por abordagem educativa e comunicacional ou por ambas. O estudo do espaço pode ser visto como discurso midiático (meio) para alcançar metas de alfabetização/letramento científico. Nesse artigo, o objetivo é fazer uma...

CONTRIBUIÇÕES DA FILOSOFIA DA IDEIA COSMONÔMICA PARA A APRENDIZAGEM INFORMAL CIENTÍFICA EM BIOLOGIA

Aprendizagem ocorre em toda vida, e a aprendizagem científica em Biologia pode ocorrer em muitos espaços informais. Há, contudo, poucas pesquisas sobre aprendizagem informal em Biologia e as abordagens normalmente são em relação à escola. Por isso, a pesquisa apresentada no artigo buscou fazer uma...

CONTRIBUIÇÃO DO ESTUDO DA PERCEPÇÃO HUMANA E A APRENDIZAGEM INFORMAL EM BIOLOGIA

Estimativas apontam que mais de 50% do tempo de crianças e adolescentes são em espaços informais. Ambientes projeto para aprendizagem, acesso às mídias científicas e trabalhos em comunidades são alguns exemplos. Todas essas estratégias usam da percepção humana para a aprendizagem. Nosso objetivo é...

APROXIMAÇÃO DA TEORIA DO GÊNERO DISCURSIVO E A PERSPECTIVA COMUNICACIONAL DE MUSEUS: CRONOTOPO DAS GERAÇÕES MUSEAIS

Os museus podem ser pesquisados na perspectiva comunicativa enquanto mídia discursiva museológica. O nosso objetivo é aproximar o discurso museológico da teoria dos gêneros de discurso de Bakhtin. Construímos este ensaio por meio do diálogo com teóricos da análise de discurso do círculo de Bakhtin,...

OS TERMOS DE INDEXAÇÃO ALISTADOS AOS ESPAÇOS DE EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NUM EVENTO DE ENSINO DE CIÊNCIAS

A pesquisa com espaços de educação não formal tem crescido nos últimos anos e sua apresentação por meio de eventos e outras publicações. A avaliação da qualidade destas publicações se dá, em parte, mediante busca das palavras presentes no título ou nas palavras-chave. Nosso objetivo é caracterizar...

ARTIGO COLETIVO - ANÁLISE DOS PERIÓDICOS QUALIS/CAPES: CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA DE ENSINO DE CIÊNCIA E MATEMÁTICA

A partir do desenvolvimento da produção científica brasileira, impulsionado pelo crescimento dos programas de pós-graduação tem-se um aumento na quantidade de periódicos e na produção de artigos científicos. Este trabalho se insere em um esforço de avaliação dos periódicos ranqueados pela Capes e...

A EPISTEMOLOGIA DE LARRY LAUDAN: diferentes tradições nas explicações dos seres vivos e suas implicações para o Ensino de Ciências e Biologia

A elaboração de propostas para a renovação do ensino de ciências tem se dado por meio de reflexões epistemológicas a respeito da natureza da ciência. Nestas, tem sido enfatizado o movimento da Nova Filosofia da Ciência a partir de epistemólogos como Popper e Feyerabend. O objetivo deste ensaio é...

Ensino Híbrido em formação docente de curso de Biologia em uma disciplina em Instituição de Ensino Superior Pública

Hybrid Teaching in Biology teacher training course in a discipline in Public Higher Education Institution Saulo Cezar Seiffert Santos Universidade Federal do Amazonas sauloseiffert@ufam.edu.br ARQUIVO EM PDF Resumo As licenciaturas em Biologia promovem um esforço para formar professores de...

ANÁLISE DOS PERIÓDICOS QUALIS/CAPES (2013/2016): VISÃO GERAL DA ÁREA DE ENSINO EM CIÊNCIAS E MATEMÁTICA

Santos, SCS et al. Resumo: No Brasil, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) propõe à produção científica, avaliação da qualidade dos periódicos, por meio de um sistema denominado Qualis. Buscamos descrever os periódicos da área de Ensino na especificidade de...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>